Sunday, February 10, 2013

Barbacena 1987

Barbacena em 1987.
Ruas Washington Luiz, Tomaz Gonzaga e Gen. Câmara.
A narração e a câmera são do meu pai, a direção do veículo da minha mãe e a criança sou eu =)


Tuesday, January 08, 2013

email de um amigo

"Caríssimo Zecão, sua mensagem é de agosto e só agora tive coragem de mergulhar nos diários do meu amigo e não esperava outra coisa senão esse desabafo sincero de uma pessoa que vivia atormentada com os rumos que a vida lhe reservava, assim era o seu pai, incansável, generoso, intransigente com a gente e com ele mesmo, querendo sempre aprumar e auferir resultados imediatos, queimando energia pelas beiras, inconformado com tudo o que lhe parecia fracasso, emocionalmente incapaz de lidar com o revés, um tormento honesto e verdadeiro que só quem o conheceu sabe como é; esse texto teve o poder de me reapresentar a pessoa como realmente era, uma revelação confirmada, sofri mas gostei de ler, obrigado pela confiança, pq essas memórias só merecem divulgação para pessoas nas quais você confia de verdade, e que gostavam do Cezinha, grande abraço Zeca, e vamos falando,


Savinho"

polícia

"Tio Cesar, você tem medo da polícia?" - meu primo Fred perguntou ao papai quando devia ter uns 4,5 anos.
"Eu não!"
"Não mesmo?"
"Não, quer que eu mande aquele soldado da polícia ali marchar?"
"não, não..." responde meu primo apavorado.

Meu pai sempre contava este caso, soltando uma gargalhada muito alegre no final.

Saturday, November 03, 2012

Escort

Lembro como se fosse hoje quando o papai chegou com o Escort novo lá em casa. O carro tinha rodado 12km apenas, a distância da concessionária até nossa casa. Papai então pegou meu irmão, com uns 3 anos na epoca, colocou-o no colo, junto ao volante e fomos juntos dar uma volta pelo condomínio no carro novo. =D

Na divisão do espólio, o carro ficou comigo, uma vez que o mesmo valia menos que as multas e impostos que possuía e eu que me disponibilizei a pagá-las,  mantendo o carro, como um hobby e recordação.



Sunday, September 30, 2012

pequenas grandes lembranças

Meu pai foi o primeiro professor que tive. Ele me ensinou coisas como: nadar (tive este privilégio) e a falar as primeiras frases em inglês. Lembro-me que com uns 5 anos ele me mostrou um diodo em uma placa eletrônica. Após explicar seu funcionamento, ele também me mostrou uma válvula hidráulica que só deixava passar água para um só lado, comportamento análogo ao do diodo.